Evaporação em vácuo

Visão geral das aplicações: evaporação em vácuo

Concentradores de vácuo utilizam uma combinação de calor, vácuo e força centrífuga para a evaporação de amostras voláteis. Este método é utilizado para evaporação, secagem, purificação e concentração especialmente rápida. Ele apresenta vantagens pelo facto de que, a pressões de alguns hectopascals, substâncias voláteis fervem à temperatura ambiente sem que a amostra congele.

A força centrífuga adicional da rotação previne impactos e muda o nível do líquido nos tubos de ensaio, aumentando assim a superfície de evaporação. O calor aplicado aumenta a taxa de evaporação sem causar sobreaquecimento das amostras sob vácuo. Concentradores de vácuo por rotação (RVC) são uma alternativa aos seguintes métodos:

  • Sistemas de destilação e evaporadores rotativos utilizam temperaturas altas para evaporação e operam praticamente em pressão atmosférica ou níveis de vácuo até aproximadamente 100 mbar.
  • Sistemas de liofilização operam a temperaturas muito baixas e alto vácuo de até menos que 0,01 mbar. Embora a sublimação preserva as amostras, ela leva muito tempo, e nem todos os solventes são adequados para liofilização.

 
A concentração de vácuo rotativo ocupa uma posição entre os dois métodos mencionados acima. Com ajustes de parâmetros adequados, os produtos resultantes também podem ser congelados e sublimados em um tipo de processo de secagem final.

O ponto de ebulição para a evaporação de líquidos depende da natureza da substância envolvida e da pressão externa. A redução da pressão reduz dramaticamente o ponto de ebulição do solvente, e portanto, evita o sobreaquecimento das amostras.


Principais características da concentração rotacional:

  • Sem amostra espumante; perda mínima
  • É possível realizar a secagem de um grande número de amostras ao mesmo tempo
  • As amostras são concentradas no fundo ou nas paredes do tubo (em contraste aos agitadores vortex), que é especialmente vantajoso com pequenos volumes ou soluções diluídas
  • Adequado para a secagem se amostras aquosas e amostras com alto teor de solvente.
  • Para volumes inferiores a 1 ml até 3 litros
  • Processos de secagem reproduzíveis graças a parâmetros de processo controlados, tais como temperatura do rotor (entrada de energia para evaporação) e vácuo, incluindo ajuste automático da pressão operacional óptima de acordo com a configuração da bomba
  • O ponto final da secagem pode ser estimado medindo-se a temperatura da amostra e/ou mediante o teste de aumento de pressão
  • Recuperação de solvente fácil e fiável

 
Visão geral das aplicações

  • Purificação de DNA/RNA (solventes principais: água, etanol, metanol)
  • Oligosíntese; peptídios
  • Reação em cadeia de polimerase (PCR – Polymerase Chain Reaction)
  • HPCL (principais solventes: água, acetonitrila)
  • Isolação/síntese de substâncias naturais
  • Armazenamento e manuseio de substâncias (bibliotecas de substâncias)
  • Química combinatória; rastreio de grande rendimento (HTS – high-throughput screening)
  • Análises de alimentos/ambientais
  • Toxicologia e investigações forenses
  • Método de evaporação padrão em laboratórios devido a processos de alta capacidade e processos automáticos programáveis